top of page

Como proteger a pele nos meses mais frios

As variações de temperatura provocam alterações na epiderme que podem originar problemas mais graves. As zonas mais expostas são as mais afetadas. Saiba o que deve fazer para defender o rosto, o pescoço e as mãos das principais ameaças. Há gestos muito simples que não pode descurar.



As baixas temperaturas dificultam a microcirculação. Sempre que os termómetros descem, o calor corporal diminui e o sistema vascular põe-se em marcha para preservar o calor. A circulação sanguínea reorganiza-se naturalmente para favorecer o fornecimento aos órgãos vitais. A pele, menosprezada, ressente-se. Os vasos sanguíneos contraem-se e a epiderme torna-se mais branca, exceto no nariz, nos lóbulos e nas maçãs do rosto, que ficam avermelhados. No caso das pessoas que têm a pele sensível, essa reação é maior.


Ao mesmo tempo, as glândulas sebáceas hibernam. A sua atividade diminui substancialmente, reduzindo simultaneamente a oleosidade natural da pele e, com isso, fragilizando o filme hidrolipídico humano. A pele irrita-se, uma vez que os poros e vasos da superfície epidérmica se comprimem. No seguimento desse processo de vasoconstrição, desidrata-se e perde conforto, suavidade e elasticidade, podendo, nos casos mais graves, chegar a descamar. Os capilares tornam-se mais evidentes durante esta fase.


E, quando este quadro se deteriora devido a uma má circulação, surgem pequenos

vasos sanguíneos dilatados, a couperose, sobretudo nas bochechas e nas narinas. As pessoas com mais rugas sofrem um pouco mais nesta época do ano, uma vez que estas marcas cutâneas inestéticas ficam mais visíveis devido à secura da pele. Há, por isso, que, para além de reforçar a hidratação da epiderme com dermocosméticos com fórmulas testadas laboratorialmente, aumentar as defesas naturais dos tecidos cutâneos.


7 gestos essenciais a ter sempre em conta


Se é certo que não podemos alterar o clima que nos rodeia, há que assumir que a exposição

às alterações de temperatura nos meses de maior frio é incontornável. Uma vez que podem ter um leque variado de sequelas, há que moderar a exposição a aquecedores, lareiras e aparelhos de ar condicionado e adotar comportamentos preventivos que defendam a derme das principais agressões externas desta época. Descubra, de seguida, o que deve procurar fazer diariamente para chegar à primavera com uma pele irrepreensível.


1. Limpe diariamente a cútis


Este gesto é fundamental para remover células mortas, eliminar os resíduos de poluição e até para refrescar a tez. Além disso, permite que que os princípios ativos dos produtos de hidratação e tratamento que usa penetrem nos tecidos cutâneos com eficácia, potenciando a sua ação. Limpe sempre a pele ao deitar e lave também a cara ao levantar.


2. Hidrate o rosto e o corpo


Use um bom creme hidratante adaptado às suas necessidades e ao seu tipo de pele. Eleja um que contenha elementos captadores da humidade, como é o caso da glicerina e da ureia, para atrair a água para dentro da pele. Também deve privilegiar fórmulas com ingredientes de efeito oclusivo, para impedir a perda da água, como é o caso da lanolina. Procure ainda formulações com ativos que preservem e restaurem a barreira hidrolipídica.


3. Use um filtro solar


Não é só nos meses de maior calor que deve usar fotoproteção. Nos períodos em que as temperaturas mais descem, também é preciso proteger a pele do sol. Use um creme de dia que contenha, no mínimo, um índice de fotoproteção 15. O ideal é um com FPS 30. Existem atualmente no mercado inúmeros cremes de dia que já contêm filtros protetores.


4. Beba (muita) água


Ainda que não tenha sede, procure ingerir, pelo menos um litro e meio de água por dia. Este gesto ajuda a manter pele hidratada, para além de libertar o organismo das toxinas

acumuladas. No caso de não gostar de beber água nos dias de maior frio, procure compensar essa ingestão com chás ou infusões quentes, idealmente sem açúcar. Também existem aplicações móveis que enviam notificações para que não se esqueça de se hidratar.


5. Tenha uma vida regrada


Somos o que fazemos e a pele não é exceção. Para não a fragilizar mais nesta fase, evite o álcool, o tabaco e os excitantes. Os alimentos e as confeções gastronómicas muito picantes também devem ser abolidos. As dietas desequilibradas também afetam a pele.


6. Faça exercício físico


A prática desportiva tem inúmeros benefícios e a pele também tem a ganhar. Para além de promover o seu bem-estar físico e psicológico, contribui para o aumento da temperatura corporal, fazendo o organismo suar. Ao fazer exercício físico, está simultaneamente a desobstruir os poros, fazendo uma limpeza natural à sua epiderme.


7. Durma convenientemente


Ponha o sono em dia. O descanso noturno é altamente reparador a todos os níveis. É enquanto dormimos que a pele aproveita para se regenerar e, neste caso, com maior profundidade, uma vez que o organismo não está ocupado a defender-se das agressões externas, como acontece durante o dia. Procure dormir um mínimo de sete horas por dia, habituando o corpo a um ritual noturno que procura respeitar os horários. Se se deitar e acordar sempre à mesma hora, todos os dias, conseguirá descansar mais.



Kommentare


bottom of page